Marina Rossi

VIDA, MEDO, ROTINA…

Medo de amar, medo de sentir. Eu tenho medo de viver, também tenho medo de morrer, mas o que fazer?

Todos os dias que acordo tenho um objetivo para o meu dia, mas encontro obstáculos para não cumprir com os meus objetivos, mas mesmo assim tenho coragem para cumpri-los..

As vezes as coisas me prendem em um só dia, acho que prendi um pedaço de mim na minha infância, pois tenho medo do escuro, medo do entardecer, medo de crescer e de não encontrar uma boa saída.

Uma saída desta cadeia que é a vida, vivemos nos prendendo a ela. Tenho medo de tudo e de todos, tendo que cumprir objetivos que nos prendem a uma rotina constante, nos impedindo de ver a verdadeira vida de perto.

Viver não é apenas ter que aprender, é rir, amar, se arriscar, errar, consertar e principalmente compreender. Acho que a vida é feita de compreensões e por isto as pessoas estão cada vez mais presas ao dia a dia, muitas delas morrem sem entender a vida.

Posso ter apenas quatorze anos, mas também posso afirmar que a vida eu já entendi, pois ela eu vivo cada dia como se fosse o primeiro e o último dia da minha vida.

Marina Rossi
26/06/07