Imaginação e hipnose

Por Paulo Madjarof Filho

Os especialistas concordam que há grande correlação entre hipnose e imaginação e que a capacidade imaginativa de uma pessoa está diretamente ligada à capacidade de hipnotizar-se. De fato o processo de indução hipnótica faz a pessoa evocar a capacidade imaginativa à medida que propõe a construção da ponte entre suas experiências pessoais com aquilo que deseja transformar, razão fundamental da hipnose terapêutica.

Imaginação segundo a Wikipédia, é a faculdade ou capacidade mental que permite a representação de objetos segundo aquelas qualidades dos mesmos que são dadas à mente através dos sentidos. Não refere exatamente ao que o objeto é, mas sim as representações a ele agregadas. Por exemplo, os índios imaginavam que os raios e trovões era o castigo que vinha dos céus pela fúria e o castigo de Deus. A confrontação desta realidade com as descobertas científicas atribuíram novos significados a este evento natural, que não mais a fúria de Deus. Até que pudessem cientificar-se disso viveram muito sofrimento e angústia.

A imaginação faz parte dos atributos naturais de qualquer ser humano saudável e é em grande parte responsável pelos estados emocionais positivos ou negativos, já que nossas emoções são precedidas de um pensamento. Quando um individuo pressupõe algo ruim a partir de suposições imaginadas, entra num estado de perturbação e desorganização, fazendo ligar estados geradores de tensão.

Situações como a mãe que não dorme por imaginar situações de risco que corre o filho que saiu para balada, a mulher que sofre ao imaginar as aventuras sexuais do marido na convenção da empresa, as pessoas que ao assistir o noticiário da TV, choram a dor de uma família enlutada por imaginar como se sentem, enfim, o sofrimento sempre que, pela capacidade imaginativa, o indivíduo distorcer, ampliar ou omitir parte dos fatos.

Os mesmos aspectos estão envolvidos para uma construção positiva da imaginação e esse é o principal aspecto de exploração por meio da hipnose terapêutica. Se as emoções são produtos da tradução (imaginação) que o homem faz do mundo que o cerca, gerando medo, angústia e ansiedade, logo, uma nova tradução que contemple outros aspectos que não os geradores de dor, produzirá conseqüentemente resultados mais favoráveis. Quero dizer que a mudança do padrão pensamento pelo exercício positivo da imaginação orientado através da hipnose dirigida, conduz o indivíduo a um estado emocional positivo e favorável. É como se, após observar por longo tempo através do buraco de uma fechadura, a pessoa abrisse a porta, mudando enormemente sua perspectiva e o entendimento sob o foco de sua observação.