Ondas alfa

Paulo Madjarof Filho

As ondas alfa referem a uma oscilação de voltagem elétrica no cérebro, oscilando no ritmo de 7.5 – 13 ciclos por segundo. Pelo fato de as ondas alfa acontecerem em estados relaxados, como a meditação e a hipnose, foram erroneamente denominadas como absolutamente desejáveis. As ondas alfa também acontecem sobre condições desagradáveis e quando a pessoa não está relaxada. Não são uma medida de paz e serenidade e nem tampouco um indicativo exclusivo de um estado alterado de consciência. São indicativas da falta de processo visual e falta de enfoque: o processo visual menor e a redução máxima do foco, geralmente tornam mais fortes as ondas alfa. Se você fechar os seus olhos e não se concentrar em imagens vívidas ou imaginadas, suas ondas alfa serão bastante fortes.  

Não há nenhuma evidência que quando se adormece o cérebro passa por um “conserto” pelo predomínio das ondas alfas. Nem há evidência de que o cérebro tem mais insight, é mais criativo ou produtivo enquanto predominam as ondas alfa. Algumas pessoas acreditam que as ondas alfa crescentes podem aumentar o sistema imunológico e conduzir para a autocura ou prevenção de uma enfermidade. Esta convicção parece estar baseada na noção de que há um aumento de ondas alfa enquanto se medita e relaxa (o que indica falta de tensão, que pode ser bom para você). Porém, as ondas alfa podem acontecer também quando a pessoa não está relaxada, conseqüentemente, não há nenhuma garantia que o aumento dessas ondas esteja reduzindo a tensão ou que há um aumento do sistema imune da pessoa.

Beyerstein, Barry. “The Myth of Alpha Consciousness”,

Skeptical Inquirer, 10, no. 1 [1985]